Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico
Usuário
Senha

Notícias

Newsletter

Nome:
Email:

Assembleia deve atuar como parceira do IBGE na realização do Censo 2020

O Censo Demográfico de 2020 deverá contar, em Pernambuco, com o apoio da Assembleia Legislativa. Na tarde desta terça (15), o presidente da Casa, deputado Eriberto Medeiros (PP), recebeu o chefe da unidade estadual do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Gliner Dias Alencar, para alinhar parceria entre as duas instituições. O encontro também contou com a participação do consultor-geral da Alepe, Marcelo Cabral. Os parlamentares e o corpo técnico da Assembleia devem atuar como multiplicadores, pulgando a importância de todos participarem da pesquisa para atualizar o cálculo populacional brasileiro. “Acreditamos que a Alepe pode ser uma excelente parceira também na atualização das legislações municipais”, destacou Alencar. “Os deputados serão porta-vozes em cada um dos municípios, conscientizando sobre a importância de retratar com dados fidedignos a realidade do Brasil”, completou. Realizado a cada dez anos, o censo demográfico acontecerá ao longo do segundo semestre de 2020. Atualmente, o IBGE está na fase de contratação de pessoal, por meio de concurso. Cerca de nove mil pessoas deverão atuar na produção do novo cálculo populacional. “Temos a consciência de que esse trabalho de recenseamento é fundamental para o desenvolvimento de políticas públicas. Tenho certeza de que os 49 deputados e o corpo técnico da Alepe estarão engajados nesse trabalho”, afirmou Eriberto Medeiros. O consultor-geral da Alepe, Marcelo Cabral, ressaltou a importância do censo para a distribuição do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), recurso vital para a maioria das cidades. “Teremos uma parceria com o IBGE, a Condepe/Fidem, o Ministério Público, a Amupe e a União dos Vereadores de Pernambuco (UVP) no sentido de atualizar a legislação que define os limites dos municípios. Alguns conflitos têm surgido pela indefinição, já que a norma é da década de 1970. Precisamos usar a tecnologia de geoprocessamento para atualizá-la”, explicou.
15/10/2019 (00:00)
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia