Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico
Usuário
Senha

Notícias

Newsletter

Nome:
Email:

Parlamentares repercutem consequências das chuvas no Grande Recife

As chuvas que atingem a Região Metropolitana do Recife (RMR) desde a última quinta (13) repercutiram na Assembleia. Na Reunião Plenária desta segunda (17), o deputado João Paulo (PCdoB) criticou os cortes feitos pelo Governo Federal em verbas que, na avaliação dele, poderiam minimizar os danos e perdas registrados. O bloqueio atinge áreas como contenção de cheias e inundações e ações de defesa civil. Já o deputado Wanderson Florêncio (PSC) cobrou informações da Prefeitura do Recife (PCR) sobre ações para prevenção de enchentes. O parlamentar do PCdoB abordou um estudo da Associação Contas Abertas, feito a pedido do jornal O Estado de S.Paulo, que mostra que cerca de 140 projetos de 11 ministérios estão com 100% dos recursos bloqueados. De acordo com o levantamento, a área de defesa civil perdeu R$ 426,7 milhões, e o Ministério da Infraestrutura teve bloqueadas 44,2% das despesas de apoio a sistemas de drenagem e manejo de águas pluviais em municípios considerados críticos. João Paulo citou cada uma das nove mortes ocorridas no Recife e na RMR, destacando a queda de barreira em Camaragibe, que causou o falecimento de Edilene da Conceição, 30 anos, e de seus cinco filhos. “A Defesa Civil é uma prioridade, pois dela dependem vidas humanas”, disse. “As vidas perdidas e os transtornos são inaceitáveis e evitáveis. E não há como negar que, sem verbas, o enfrentamento dessas tragédias torna-se mais difícil”, acrescentou. Wanderson Florêncio, por sua vez, criticou a Prefeitura do Recife por não ter respondido a uma indicação feita por ele em abril, na qual pediu informações sobre investimentos na prevenção de acidentes em áreas de risco. No documento, o deputado solicitou, ainda, esclarecimentos sobre planos de emergência contra enchentes e catástrofes naturais. Para o parlamentar, ao não responder ao pedido após dois meses, a PCR “desrespeitou” o Poder Legislativo. Conforme anunciou, voltará a solicitar as informações por meio de um requerimento. “Não vimos a CTTU (Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife) organizar uma força-tarefa para evitar os transtornos. Chegou ao ponto de uma motorista passar direto no túnel da Via Mangue e morrer afogada”, enfatizou. “Estamos aqui para lamentar essas cenas, repetidas a cada momento de chuva, ano após ano. E lamentar, especialmente, a falta de respeito com esta Casa e com as pessoas que se utilizam do nosso instrumento legislativo para ter a compreensão do cenário em que a cidade se encontra”, emendou.
17/06/2019 (00:00)
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia